Manhã de Sucessos

Das 08:00:00 às 10:45:00
Com: Ricardo Pereira

Quem Somos

O início do sonho...
 
Dois Córregos ingressou no mundo da radiodifusão em 1952. A Rádio Cultura Regional foi inaugurada em 22 de junho pela família Simonettis, sob o prefixo ZYR-54 com 100 watts de potência e na freqüência de 680 kHz.
Seu primeiro estúdio funcionou na avenida Dom Pedro I, prédio da Associação Atlética Mocoembu. Em 1956, assumiram a direção da emissora: Luiz Pavanelli, Antônio Pavanelli, Guilherme Pavanelli Neto e José Duarte Grego. Neste período, a rádio funcionava em uma casa já demolida, na avenida Dom Pedro I, onde atualmente é o Restaurante Tutti Pronti. Cerca de 3 anos depois, a rádio chegou a sua terceira diretoria, integrada pelos irmãos Camargo: Gilberto, Antônio João e José Eduardo.
Posteriormente, Léo Guaraldo e Antônio Oswaldo do Amaral Furlan também estiveram ligados à cúpula da diretoria. A emissora funcionou também na rua 15 de novembro, na parte superior do prédio do atual Barato Móveis.
O transmissor funcionou até 1977 em um terreno cedido pela Prefeitura de Dois Córregos, nos altos da rua 15 de novembro, onde é atualmente o Terminal Rodoviário. Posteriormente, foi transferido para imóvel próprio, na chácara São Sebastião.
Segundo o historiador, Clineu Alves de Lima, em 1974, um violento vendaval rompeu a torre de sustentação da torre irradiante, que ficou toda retorcida. Somente em 77 foi instalada nova torre, já que a velha ficou imprestável. Precariamente, a emissora ficou operando com a torre que caíra e pode ser reerguida, mas toda torta.
Chegando em 13/08/73, ao chamado edifício da comunicação, na avenida Frederico Ozanan. Prédio que abriga a Rádio Cultura e o Jornal “O Democrático”. Desde 95, apenas os irmãos Antônio João e José Eduardo compõem a diretoria da emissora. Nesse mesmo ano, a emissora importou novo transmissor dos Estados Unidos e pondo de lado seu equipamento de 1.000 watts de potência, passou a operar com 10.000 watts, esparramando o seu som por todos os quadrantes do Estado e até para fora dele, assumindo posição de liderança regional.
Durante a trajetória, revelou excelentes comunicadores: Carlos Nascimento, Clineu Alves de Lima, Paulo Roberto Monteiro, José Maria Bernardo, Luiz Carlos Bonzanini, Antenor Zago, Laerte Maziero, Jairo Alves de Lima, Flávio Barbosa, Pedro Arnaldo Fornaciali, Denílson Mônaco, Salvador Moreira da Costa, Wilson Garbelini e Dulcinéia Bussacarini.
 
 
Já funcionou nos prefixos:
ZYR-54 com 100 watts de potência 680 kHz
ZYE 274 na mesma freqüência e potência
ZYK 579 operou na faixa dos 1580 kHz e na de 1460 KHz com 250/500 watts
Por final, elevou sua potência para 1000 watts, passando a operar na freqüência de 990 kHz. Instalou um segundo estúdio em Jaú, firmando-se como emissora regional.
 
Dados extraídos do livro: “Folhas Secas” do historiador Clineu Alves de Lima
 
“A verdade é que a Rádio Cultura teve influência decisiva na vida de muitos jovens dois-correguenses, desinibindo-os e projetando-os. Para qualquer menino ou jovem, militar nos seus quadros era um grande orgulho. Afinal, emissora de rádio não era qualquer cidade que possuía. Os seus integrantes tinham o mesmo destaque que, na atualidade, têm os que atuam na televisão”.
Clineu Alves de Lima